2018: Segunda Natureza – Christus Nóbrega – de 05/04/2018 à 05/05/2018

    • Sobre a exposição/About the exhibition

      Segunda Natureza

      Na exposição Segunda Natureza, o artista Christus Nóbrega faz um recorte de suas pesquisas artísticas reunindo obras que possibilitam refletir sobre a história decorrente de nós mesmos, a partir do questionamento daquilo que nos propomos a criar como legado. Os trabalhos foram produzidos entre 2012 e 2016 e abarcam a investigação da imagem na interface com outros campos disciplinares, como a  botânica, medicina e tecnologia.

      Cada uma das séries aqui apresentadas partiu de pressupostos específicos de investigação. Tratam da arqueologia das memórias familiares, do percurso da viagem como método artístico, do livro como metáfora de proteção e refúgio para o próprio conhecimento e da potência de parcerias coletivas disciplinares de caráter tecno-biológico. É o caso de Sudário (2013), no qual o artista desenvolveu com uma equipe de médicos e químicos um cartucho de impressão jato de tinta com seu próprio sangue para imprimir plantas de simbologia ritual de proteção, problematizando relações de poder do Estado sobre o corpo.

      Fotografia, vídeo, arte tecnológica e instalações estão entre as possibilidades da produção artística de Christus Nóbrega. Nesta exposição, os trabalhos parecem condensar uma tensão sobre a condição humana constituída historicamente. Isto porque é preciso ressaltar que o conceito de segunda natureza reflete acerca de uma natureza preponderantemente histórica colocada pelo sujeito humano consciente de si, ou seja, livre.

      A noção parte do debate entre o estado de natureza e o de espírito humano. De um lado temos uma condição que se manifesta no espaço físico, num curso repetitivo e determinado, sem possibilidade de mudança, e no qual prevalece a necessidade diária, ou seja, de primeira natureza. Como colocado pela filosofia hegeliana, há uma outra circunstância de segunda natureza que diz respeito a tudo aquilo que o espírito objetivo, enquanto ser humano, coloca por meio de sua própria criação. Desta maneira, podemos aqui refletir sobre os fatos que se fundam no curso do tempo, e acerca da arte como história e, historicamente reconhecida, trata-se por sua vez da realização da liberdade no mundo.

      Segunda Natureza

      In the exhibition Segunda Natureza, the artist Christus Nóbrega makes a cut of his artistic research, bringing together works that make it possible to reflect on the history of ourselves, from the questioning of what we propose to create as a legacy. The works were produced between 2012 and 2016 and cover image research in the interface with other disciplinary fields such as botany, medicine and technology. Each of the series presented here was based on specific research assumptions. They deal with the archeology of family memories, the journey of the journey as an artistic method, the book as a metaphor of protection and refuge for knowledge itself and the power of collective disciplinary partnerships of a techno-biological nature. This is the case of the Shroud (2013), in which the artist developed with a team of doctors and chemists an inkjet print cartridge with his own blood to print ritual protection symbology plants, problematizing state relations of power over the body .

      Photography, video, technological art and installations are among the possibilities of Christus Nóbrega’s artistic production. In this exhibition, the works seem to condense a tension on the human condition historically constituted. This is because it must be emphasized that the concept of second nature reflects on a predominantly historical nature posed by the self-conscious, ie free, human subject.

      The notion starts from the debate between the state of nature and the state of the human spirit. On the one hand we have a condition that manifests itself in physical space, in a repetitive and determinate course, with no possibility of change, and in which daily necessity prevails, that is, of first nature. As posited by Hegel’s philosophy, there is another second nature circumstance which concerns everything that the objective spirit, as a human being, poses by means of his own creation. In this way, we can reflect here on the facts that are based on the course of time, and about art as history and, historically recognized, it is in turn the realization of freedom in the world.

    • Informação(ões) do(s) artista(s)/About the artist(s)

      Artista e Professor Adjunto do Departamento de Artes Visuais (VIS), do Instituto de Artes (IdA) da Universidade de Brasília (UnB). Doutor e Mestre em Arte Contemporânea pela UnB. Leciona e orienta nos curso de Pós-Graduação em Artes e Design da mesma instituição.

      Vem participando regularmente de exposições nacionais e internacionais. Tem obras em acervos e coleções privadas e institucionais, a exemplo da Fondation Cartier – Paris e no Museu de Arte do Rio (MAR) – Rio de Janeiro e no Museu Nacional Honestino Guimarães (Mun). Autor de livros e artigos científicos na área de artes e arte/educação. Premiado pelo Programa Cultural da Petrobras (2004 e 2011) e pelo Museu da Casa Brasileira (2004). Premiado pelo Programa de Exposições do CCBB (2017), indicado ao Pipa (2017).

      Em 2015, representou o Brasil na China pelo Programa de Residência Artística do Ministério das Relações Exteriores do Brasil, na universidade chinesa Central Academy of Fine Arts (CAFA).

      Artist and Adjunct Professor, Department of Visual Arts (VIS), Institute of Arts (IdA) of the University of Brasília (UnB). Doctor and Master in Contemporary Art by UnB. He teaches and guides in the Post-Graduate course in Arts and Design of the same institution.   He regularly participates in national and international exhibitions. He has works in collections and private and institutional collections, such as the Fondation Cartier – Paris and the Museum of Art of Rio (MAR) – Rio de Janeiro and the National Museum Honestino Guimarães (Mun). Author of books and scientific articles in the area of ​​arts and art / education. Awarded by the Petrobras Cultural Program (2004 and 2011) and by the Museu da Casa Brasileira (2004). Awarded by the CCBB Exhibition Program (2017), nominated for Pipa (2017).   In 2015, he represented Brazil in China for the Artistic Residency Program of the Ministry of Foreign Affairs of Brazil, at the Chinese university Central Academy of Fine Arts (CAFA).

    • Imprensa

      Não disponível